Notícias

Restaurantes reagem a cobranças de fornecedores de energia

Companhias têm incluído os estabelecimentos em listas de inadimplentes, protestado contas e até cortado a energia

Os restaurantes paulistanos começam a obter sucesso na disputa contra fornecedora de energia que têm incluído os estabelecimentos em listas de inadimplentes, protestado contas e até cortado a energia. A ENEL fez isso por não receber pagamento das contas cobradas nos meses de pandemia – quando muitos estabelecimentos permaneceram fechados – pela média de consumo dos meses anteriores (a fornecedora alegava que não podia manter seus funcionários fazendo medições de consumo in l

Centenas de proprietários – dos mais simples aos estrelados – já se mexem e as primeiras decisões judiciais estão acessíveis. A reaão, também articulada por instituições do setor, tem à frente uma tropa de choque de especialistas em demonstrar a letalidade sobre empresas da combinação de cobranças indevidas, restrição de direitos e abuso de poder  Um desses escritório é Maricato Advogados, que acaba de obter decisão para uma rede de refeições self-service para que a ENEL pare de cobrar consumo pela média, faça a medição de consumo efetivo, recalcule os valores cobrados pelo consumo real de energia no período sem operações e pague um quantia de dez mil reais a título de indenização moral.

– Esta decisão do juízo da 11ª Vara Cível expressa a indignação dos donos de bares e restaurantes. As cobranças feitas pelas fornecedoras são indevidas e desproporcionais. Quem não se mexer, vai ser escorchado, diz Julio Gomes, do Maricato Advogados Associados.

compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email

Leia também:

Dura vida de advogado

A mesma Folha de S. Paulo que anunciou, equivocadamente, a morte da monarca da Inglaterra, na manhã de segunda-feira – “Rainha Elizabeth