Giz de aprendiz

R$50,00

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Descrição

Na obra Giz de Aprendiz, fazendo do impossível um quase possível, Alvaro apresenta versos métricos que se completam ou se contradizem ao longo de suas sílabas poéticas. É denominada métrica a medida do verso de uma poesia. Aqui, trata-se de uma brincadeira proposital oriunda da genialidade do autor que gosta de deixar a imaginação do leitor em dúvida. São clássicos os versos “nas entrelinhas destas linhas só há estrelinhas” e “pode ver a métrica para moldar estes versos só com serra elétrica”, nos quais ele abusa de uma métrica tecida em tom prosaico e lúdico.

O autor não busca ser sempre lógico e previsível, pois é justamente o imprevisível que o fascina e molda seus versos. Ele quer mostrar, nas conclusões dos seus poemas, finalizações ilógicas e divertidas, porém sempre reflexivas: “não cresceu com fermento para o pão ficar grande usei lentes de aumento”.

Quem diria que ele concluiria este verso rimando a palavra ‘fermento’ com ‘lentes de aumento’? É nisso que reside a métrica insubordinada de Alvaro Posselt. À medida que a leitura avança, chega um momento em que a obra chama sua audiência para se tornar um poeta também, pois ela desperta a criatividade do leitor e o poeta leva o leitor a se tornar um novo artista. Diante da primazia da realidade dos versos em tela, leia-os sem julgar, não espere que o autor cumpra a sua coerência, e muito menos a sua lógica. Apenas leia. Pense depois. Durante a leitura, pare seu mundo, divirta-se, desamanheça! Segue mais um lançamento da coleção Helena Kolody!

Sobre o autor:

Alvaro Posselt é professor e poeta. Nasceu no dia 2 de dezembro de 1971, em Curitiba, onde mora. Ganhou notoriedade pelo seu talento na criação de haicais: poemas curtos de origem japonesa. A palavra haicai é formada por dois termos “hai” (brincadeira, gracejo) e “kai” (harmonia, realização), ou seja, representa um poema humorístico. Essa forma poética foi criada no século XVI e acabou se popularizando pelo mundo. Alvaro conheceu esta técnica em 2003, na Biblioteca Pública de Curitiba, e a usou com ineditismo, iniciando com haicais sobre o clima da capital paranaense: “Curitiba não nos poupa / Ontem eu tomei sorvete / Hoje eu tomo sopa”. Em janeiro de 2018, ganhou notoriedade nacional ao ser entrevistado pela Rede Globo. Com a fama ascendente, seus poemas já apareceram em embalagens de sorvete e pão, copinhos de café e canecas. Em parceria com a ACGB/VidaUrbana (Associação dos Condomínios Garantidos do Brasil), eles foram pintados num mural na Travessa da Lapa, Centro de Curitiba e publicados no livreto A vida é agora. De forma voluntária, o autor faz oficinas de haicai em escolas públicas. Recentemente o poeta transformou sua casa em espaço cultural (Casa Posselt) e passou a receber escolas para as oficinas e para conhecerem um pouco do seu cotidiano e do ambiente verde que o cerca! Giz de Aprendiz é o sétimo livro deste professor de português, que agora integra a coleção Helena Kolody.

Especificações técnicas:

ISBN: 978-85-65017-26-8

Tema: Poesia brasileira

Idioma: Português

Ano: 2019

Encadernação: Flexível

Dimensão: 14,5 x 20 x 1,3 cm

Peso: 0,245

Edição: 1

Volume: 5

Páginas: 192

Categorias ,