No items found

Os dramaturgos gregos e “A Invenção do Direito” de Castro Neves

José Roberto de Castro Neves, advogado, Doutor em Direito Civil e Mestre pela Universidade de Cambridge, sensibilizou-me com este livro admirável: A invenção do Direito. O texto emerge do fascínio da tragédia grega e de inúmeros aspectos da condição humana. Direito, Literatura e Justiça são valores essenciais da realidade palpitante da vida como mostram, no cotidiano forense, as inúmeras questões criminais, cíveis, de família e outras de variados interesses. Castro Neves reúne material sensível para tecer, com os teares da palavra e da pesquisa, um tapete onde aparecem “O tempo dos dramaturgos gregos”; “A pólis e o Direito na Grécia clássica.” “A morte dos deuses e o julgamento de Sócrates” (470-399 a.C.), com a advertência de que a sentença contra o filósofo é sempiterna pela injusta condenação. A sua presença no tribunal e a autodefesa teriam revelado farpas de ironia e arrogância quando, por exemplo, desdenhou da ignorância humana: “Tudo o que sei é que nada sei”.

No capítulo “A invenção do Direito”, o autor se refere a Aristófanes (447 – 385 a.C.), que sabia da importância do teatro como forma de aclarar a consciência dos cidadãos e desenvolver reflexões políticas. Um poderoso meio para fortalecer a sociedade. Pelos temas debatidos nos festivais de teatro e expostos pelos talentosos autores gregos, a sociedade amadurecia. O dramaturgo, como esclarece em As rãs, ensina cidadania. As peças tinham propósito educativo.

A vida, a morte e a ressurreição da cultura grega no anfiteatro do mundo ocidental lembram-me um expressivo trecho de Nietzsche,em A origem da tragédia, ao afirmar que “o grego conheceu e sentiu as angústias e os horrores da existência: para lhe ser possível viver teve de gerar em sonho o mundo brilhante dos deuses olímpicos”.

A vida é como uma peça teatral,
só que no teatro os diálogos são melhores”.
Jean Anouih (1910-1987), dramaturgo francês, autor de peças notáveis convertidas em filmes.

PUBLICADO NO BLOG DO DOTTI EM 26 DE MARÇO DE 2019.

FOTO BLOG DO DOTTI

compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email

Leia também:

Dura vida de advogado

A mesma Folha de S. Paulo que anunciou, equivocadamente, a morte da monarca da Inglaterra, na manhã de segunda-feira – “Rainha Elizabeth

Um painel para sempre

Há seis meses, a Associação dos Condomínios Garantidos do Brasil (ACGB/Vida Urbana) inaugurou um painel de azulejos em homenagem aos profissionais da