Notícias

Jurista Ives Gandra Martins está internado com coronavírus em São Paulo

Martins, 85, contraiu o vírus enquanto estava internado no hospital Sírio Libanês recuperando-se de uma cirurgia. "Eu pessoalmente estou muito bem, sem tosse e sem outros sintomas. Mas estou preocupado com o país", disse ele à Folha de S. Paulo. "Bolsonaro deve evitar disputas políticas nesse momento e comandar sua equipe. É o conselho de um velho jurista".

O jurista Ives Gandra Martins, 85, contraiu coronavírus. Ele está internado no hospital Sírio Libanês, onde se encontra desde fevereiro, recuperando-se de complicações depois de uma cirurgia. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

A cirurgia havia sido no esôfago — para se curar de um refluxo —, mas, depois do procedimento, ele teve uma isquemia seguida de uma septicemia. Ficou em coma por cinco dias, na UTI. De volta para o quarto, estava fazendo fisioterapia e recuperando os movimentos.

Ao jornal, afirmou: “Comecei a andar novamente, pouco a pouco, com alguma dificuldade. Aí peguei o coronavírus”.

Segundo disse o jurista à Folha, os sintomas apareceram na última quinta-feira (26), quanto teve febre. Fez o teste, que confirmou a suspeita de que estava com Covid-19.

Gandra Martins estava sendo tratado pelos médicos David Uip e Raul Cutait, que também contraíram o novo coronavírus. Por isso, agora é acompanhado pelas equipes dos dois especialistas.

Conselho de um jurista
“Eu pessoalmente estou muito bem, sem tosse e sem outros sintomas”, disse Martins. Mas afirma estar preocupado com o país e diz acreditar que a equipe do presidente Jair Bolsonaro está conduzindo bem a situação.

Já o presidente, segundo Gandra Martins, deveria evitar disputas políticas neste momento. “Não vale a pena ele entrar em batalhas com os governadores, com a imprensa, batalhas que não pode ganhar”, diz. “Ele tem que comandar a sua equipe, que está indo muito bem”, segue. “É um conselho de um velho jurista”, completa.

INFORMAÇÕES DO SITE CONJUR.COM.BR.

FOTO AGÊNCIA BRASIL EBC

compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email

Leia também:

A crença em lobisomens

Prestes a confirmar o diagnóstico do ministro do STF, Marco Aurélio Mello, de que seria natirmorto, o inquérito das fake news completa o prazo de investigação sem notícias à vista. O jurista René Ariel Dotti diz que só o STF poderia conceber inquérito tão descabido. Por isso ele “acredita em lobisomens”