Notícias

Editora Bonijuris lança edição especial em homenagem a René Dotti

Com 130 páginas, publicação reúne artigos escritos por juristas, ministros do STF e pelo ator Ary Fontoura, que fundou com Dotti uma companhia de teatro

A Editora Bonijuris está lançando uma separata em homenagem ao professor René Ariel Dotti, falecido em fevereiro de 2021 aos 86 anos. Com 130 páginas e tiragem de 5 mil exemplares, em versão impressa e e-book, a edição especial reúne artigos escritos por juristas de renome, caso de Miguel Reale Jr., Ives Gandra Martins e Jacinto Miranda Coutinho, pelo ministro do STF Edson Fachin, os ex-ministros Marco Aurélio Mello e Eros Grau, e pelo ator Ary Fontoura, que estudou com Dotti no Colégio Estadual do Paraná e fundaria, com ele, na década de 50, a Sociedade Paranaense de Teatro, mantendo a amizade viva mesmo depois de mudar para o Rio de Janeiro, onde construiu carreira de sucesso. Colaboram também os sócios e advogados do famoso escritório que leva o nome do jurista – ele preferia ser chamado de professor –, entre eles sua filha Rogéria Dotti.

A pesquisa de dados biográficos do homenageado, coleta de artigos e fotos, exigiu um esforço de seis meses de trabalho de toda a equipe da editora. O resultado chega agora ao leitor em edição encartada com a Revista Bonijuris. Além dos textos assinados, a separata também reúne frases do jurista pinçadas em artigos que ele escreveria até o fim de sua vida, e uma entrevista inédita gravada durante almoço com jornalistas e advogados, onde Dotti se rende a confissões e lembranças.

“Quem eu sou? Vou dizer: sou um advogado. Quero ser lembrado como advogado. A primeira coisa que eu penso é na advocacia. É o meu trabalho. A experiência política foi fugaz. Ser advogado é a minha vida”, afirma.

A menção à política refere-se ao período em que esteve à frente da Secretaria de Cultura do Estado do Paraná, no governo de Alvaro Dias (1987-1990). Apaixonado pela dramaturgia desde a adolescência, Dotti recriou, durante sua gestão, o Teatro de Comédia do Paraná e moveu montanhas para que as grandes peças antes restritas ao eixo Rio-São Paulo fossem apresentadas também em Curitiba, caso de “Galileu Galilei” estrelada por Paulo Autran. Seu feito notável, entretanto, foi o lançamento do jornal “Nicolau” que, segundo o jurista, representou uma revolução na aldeia. E esse era definitivamente o caso. O periódico publicado durante cinco anos, com 60 edições, reuniu colaboradores nacionais, entres eles o cronista Rubem Braga, e autores de várias partes do mundo. “Todos os escritores que importavam estavam no Nicolau”, dizia ele, orgulhoso.

De acordo com o editor-chefe da Revista Bonijuris, Luiz Fernando de Queiroz, a separata em homenagem ao jurista teria, a princípio, 36 páginas, mas ganhou volume à medida que o número de interessados em colaborar com a edição cresceu ao longo dos meses. “O nome do professor René Dotti foi um catalisador. De repente tínhamos artigos vindos de várias partes do país e ainda um desenho cedido pelo cartunista Ziraldo que está sendo publicado nas páginas centrais”, relata.

Dois mil exemplares da separata estão sendo encartados com a Revista Bonijuris e enviados para os tribunais, seccionais da OAB, escritórios e faculdades de direito em todo o país. Os demais serão vendidos em edições avulsas ao custo de R$ 80 o exemplar. Mais informações pelos telefones 41 3079-5927 / 92004-7459. O e-mail é comercial.triade@bonijuris.com.br.

compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email

Leia também: