Coronavírus: com mais moradores em casa, a ordem é redobrar os cuidados

A determinação para evitar combater o coronavírus é ficar em casa, o que aumenta a necessidade de cuidados nos prédios. A Associação Brasileira das Administradoras de Imóveis (ABADI) preparou uma cartilha com orientações específicas para condomínios de prevenção ao coronavírus (Covid-19). De acordo com o a associação, o síndico tem poder, em uma situação de força maior, de determinar o fechamento das áreas comuns do condomínio, como piscina, quadras esportivas, salões de festas, academia e outros

“Caso algum condômino esteja com coronavírus e faça quarentena domiciliar (14 dias em casa em isolamento, sendo monitorado à distância), o síndico pode avisar sobre uma pessoa doente aos demais moradores, mas sem relevar sua identidade”.

No condomínio Cores da Lapa, com 685 unidades, foram adotadas medidas como cancelamento de assembleias e reuniões, fechamento de saunas e afins e orientação para os moradores para deixar as janelas abertas.

Luiz Barreto, presidente da administradora Estasa, afirma que, como agora a ordem é ficar em casa, os condomínios devem redobrar a atenção, mesmo que seja com medidas consideradas radicais.

– Estamos mandando um comunicado para todos os condomínios que administramos. A ordem é fechar todas as academias e salão de jogos. Obra e manutenção só em casos emergenciais: não é hora de trocar o piso da sala- alerta.

Recomendações para condomínios:*
  • Disponibilizar álcool gel em áreas estratégicas: próximo a elevadores, portarias e em áreas de uso coletivo
  • Disponibilizar cartazes de comunicação e orientação aos moradores
  • Orientar e dar assistência aos funcionários do condomínio e tentar afastar os mais idosos ou com doenças crônicas, que fazem parte do grupo de risco
  • Caso algum colaborador do condomínio manifeste sintomas da doença, comunicar imediatamente à administração e serem afastados
  • Suspensão das assembleias e reuniões presenciais, salvo em situações imprescindíveis. Neste caso, realiza-las em ambientes arejados, mantendo uma distância de, pelo menos, um metro entre os participantes
  • Se possível, promover o fechamento temporário de espaços de uso coletivo, como piscina, sauna, academias, quadras esportivas
  • As piscinas mantidas abertas devem ser cloradas por profissionais
  • Exigir procedimentos de limpeza rigorosos no condomínio, especialmente em maçanetas, botoeiras, corrimãos, elevadores, playgrounds, academias e halls comuns
  • Funcionários da limpeza devem usar equipamentos de proteção individual, como máscaras e luvas
  • Na limpeza geral é recomendado o uso de alvejantes, álcool ou produtos com hipoclorito de sódio
  • Com as crianças em casa, será importante manter a comunicação com pais e responsáveis para evitar que haja aglomeração no playground do condomínio
  • Manter os banheiros das áreas comuns sempre abastecidos com sabão, papeis e álcool em gel
  • Suspender a cessão de uso de espaços para eventos como: salões de festas, churrasqueiras, espaços gourmet, entre outros
  • As garagens são, na maioria dos casos, fechadas e a circulação de pessoas deve ser apenas em casos de real necessidade
  • Evitar elevadores lotados
  • Estabelecer um fluxo racional para entregas em domicílio, a fim de evitar ao máximo o contato corporal

FONTE SITE WWW.VIVAOCONDOMINIO.COM.BR.

FOTO SITE VIVA O CONDOMÍNIO

compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email

Leia também:

Todo o poder aos estados: entes federados têm autonomia sobre saúde

O que os governos estaduais não podem fazer? Não podem impedir o tráfego aéreo e determinar o fechamento de aeroportos. Estes são serviços de competência do governo federal. Caso a autoridade local insista, a União está autorizada a usar força policial.
>>> Presidente da OAB do Paraná, Cassio Telles diz que a hora não é de ‘gracejos e especulações’.

Fechar Menu
×

Carrinho

Fechar